livros Fonte de Letras

Livraria Fonte de Letras

À FONTE DE LETRAS
PARABÉNS PELOS SEUS 20 ANOS.
E QUE CONTE MUITOS, MUITOS MAIS!

20 ANOS FONTE DE LETRAS
20% DE DESCONTO
SENHA: 20ANOSFONTEDELETRAS  
DIA 16 DE SETEMBRO A LIVRARIA FONTE DE LETRAS CELEBRA 20 ANOS DE VIDA CONJUNTA COM OS SEUS AMIGOS LEITORES.
E OFERECE 20% DE DESCONTO, COM A CONTRASSENHA 20ANOSFONTEDELETRAS, EM COMPRAS DE LIVROS NA LIVRARIA E NOS ENVIOS POR CORREIO, ATÉ DIA 30 DE SETEMBRO.   

SETEMBRO, OU SECA AS FONTES OU LEVA AS PONTES

foto de @n_soliloquios
Diz o provérbio que setembro, ou seca as fontes ou leva as pontes, e dizemos nós que enquanto houver leitores como tu a Fonte (de Letras) não secará nunca e as pontes serão cada vez mais, para nos unir. 
Também diz a voz do povo que em setembro planta, colhe e cava, que é mês para tudo. Pois, semeamos vontades, plantamos desejos e colhemos livros que nos alimentam.

Em setembro, une-se a vontade da livraria Fonte de Letras e do Núcleo Feminista de Évora para dar corpo a MULHERES FORA DA PRATELEIRA, uma estante de livros que põe a mulher no sítio.


Mulheres fora da prateleira | # 1
A GUERRA NÃO TEM ROSTO DE MULHER


Agora o regime vai ter que me ouvir, declara a escritora bielorussa Svetlana Alexievich, em 2015, ao receber o prémio Nobel da Literatura. Cinco anos mais tarde, ela acusa as autoridades bielorrussas de fazerem uma guerra contra o seu povo.
(A Guerra não tem rosto de mulher. Svetlana Alexievich. Elsinore) 

«Como continuar a viver se o corpo recorda os golpes, a fome, a sede, o medo e o desprezo? Charlotte Delbo continuou e com essas memórias escreveu livros exigentes como os três que compõem “Auschwitz e Depois”. »
(Auschwitz e Depois. Charlotte Delbo. BCF Editora) 

Antígona: 40 Anos + 1 – Edição Comemorativa

Este livro, publicado a propósito dos quarenta (e um) anos de vida de uma editora, reúne textos de colaboradores ou cúmplices da Antígona, que a ela está ou estiveram ligados neste belo crime, e é pois uma pequena lembrança – um  recuerdo  afetivo, um  souvenir -, um reconhecimento da participação empenhada de tantos amigos e companheiros.

A Fonte de Letras, pela mão de Helena Girão Santos, é cúmplice da Antígona.

E QUE FRUTA DA ÉPOCA ESTÁ PRONTA A SER COLHIDA?

Para quem não pode vir colher, continuamos a fazer envios por correio, com oferta de portes.

Na Fonte de Letras – UMA LIVRARIA GENIAL!:

A vida mentirosa dos adultos | Elena Ferrante

«Dois anos antes de sair de casa, o meu pai disse à minha mãe que eu era muito feia» é a frase inicial deste romance. A revelação é feita por Giovanna, que ao olhar paterno se transformara de criança encantadora em adolescente imprevisível, que parecia tornar-se cada dia mais parecida com a desprezada tia Vittoria.
A frase ouvida sem que os pais o soubessem vai levar Giovanna a procurar conhecer a tia, cujas fotografias foram apagadas dos álbuns de família e é evitada em todas as conversas.
Confirmando a sua mestria narrativa e o profundo conhecimento do que se passa na cabeça das adolescentes, Ferrante constrói um enredo surpreendente, ligando uma história de iniciação aos episódios de uma pulseira que passa de mão em mão. Giovanna move-se entre duas famílias e duas zonas da cidade em busca dela própria, na passagem da adolescência para a idade adulta.
(A vida mentirosa dos adultos. Elena Ferrante.  Relógio d`Água)

Estórias com figuras | Antonio Tabuchi

Nada melhor do que as palavras do autor na sua sempre escrita poética para descrever um livro de contos a partir de pinturas de artistas que admirava:
«Creio poder afirmar que a pintura entrou fortemente na minha escrita. Entrou como estímulo, como insinuação, também um pouco como encantamento, e também um pouco, amiúde, como ditado de textos que escrevi. Talvez porque haja pessoas para as quais a realidade passa mais através dos olhos do que dos ouvidos, e eu sou uma delas. Sempre disponível para aquilo que vejo, não obstante a minha miopia. Aquilo que vejo condiciona-me muito e condiciona muito também a minha escrita. Tenho escrito muito sobre pintura e para a pintura, ou graças à pintura, e é disso que vos vou falar. »
(Estórias com figuras.  Antonio Tabuchi. PDQ)

Contágios – 2500 anos de pestes | Jaime Nogueira Pinto

Jaime Nogueira Pinto percorre dois mil e quinhentos anos de história, arte, literatura e ciência para nos contar como têm vivido e morrido as pessoas em tempos de epidemia. É uma viagem marcada por sofrimento, carestia, doença e morte, e por grandes agitações nas sociedades, com convulsões políticas, miséria material, degradação dos costumes e desorientação espiritual.
Recorrendo a fontes históricas tão diversas quanto O Livro do Apocalipse, a peça Édipo Rei, os estudos médicos de Galeno, a pintura Danças Macabras de Bernt Notke, o poema Nós, de Cesário Verde, ou o filme Philadelphia, com Tom Hanks, Contágios estabelece uma cronologia das principais epidemias que afectaram a humanidade e faz o balanço histórico das suas consequências políticas, sociais e culturais.
Relato fascinante das epidemias tradicionais e das que surgiram recentemente – como o Ébola, a SIDA ou a Covid-19 – Contágios é o livro que nos ajuda a pensar sobre os fantasmas que nos assombram.
(Contágios – 2500 anos de pestes.  Jaime Nogueira Pinto. PDQ)

O Tempo Indomado | José Gil

O tempo está a sair cada vez mais aceleradamente dos seus gonzos. As regularidades naturais e culturais foram quebradas pela acção humana. No entanto, esta também sabe domar o caos, por exemplo, quando as regras e convenções se tornam demasiado rígidas e já não deixam respirar. É, de resto, o que faz a arte, criando um «bom» caos, fértil para a criação. E, de maneira geral, os nossos movimentos não verbais, imperceptíveis e fugidios tentam sempre escapar à domesticação do tempo. Mas há um outro caos, destrutivo, letal, como o que nos trouxe a pandemia e como o que se anuncia com as alterações climáticas. Vivemos hoje entre a probabilidade do caos mortífero e a possibilidade mínima de resgatarmos a Terra da morte quase certa. Temos de lidar de outro modo com a própria morte. Entre o tempo indomado e o tempo domável, que vamos fazer? Que poderemos fazer? Que queremos fazer?
(O tempo indomado.  José Gil.  Relógio d`Água)

O Livro do Deslembramento |  Ondjaki

Tal como em outras obras de Ondjaki, a ação de O Livro do Deslembramento localiza-se em Luanda no período em que, após os acordos de Bicesse, a guerra civil parou, e houve eleições em Angola pela primeira vez. Mas em pouco tempo reacende-se a guerra civil. Como diz o narrador, «aquela guerra que nunca ninguém nos apresentou ou explicou, a guerra que sempre tinha “andado lá longe” sem nos ameaçar assim nas ruas da nossa cidade, no nosso mar, nas nossas praias, nas nossas famílias».
É essa Luanda que nos é aqui apresentada pelos olhos de uma criança. Essa Luanda em que «uma pessoa não sabe passar um dia só sem inventar uma estória». E as histórias seguem-se, numa estudada circularidade, até à última página. Mas aqui chegados tudo muda. Aquele mundo, vivido como uma história de encantar, tem debaixo de si um vulcão prestes a explodir. O Livro do Deslembramento é certamente uma das mais belas obras de autoficção da literatura em língua portuguesa. E Ondjaki, neste ano de 2020 em que passam precisamente vinte anos sobre a publicação do seu primeiro livro, dá-nos agora um dos seus melhores romances.
(O Livro do Deslembramento.  Ondjaki. Caminho)

Primeiros contos e outros contos | Agustina Bessa-Luís

«Agustina sempre gostou do conto, das histórias contadas à lareira, ou na sombra da ramada. Todos sabiam contar histórias, e a atenção dos ouvintes era captada com uma sabedoria magistral. Agustina foi ouvinte, e aprendeu. Mesmo nos seus romances, por vezes deparamo-nos com umas páginas que poderiam ser isoladas num conto. E o que sinto é que, embora uns desses contos estejam localizados numa cidade, como na Coimbra dos anos 40, por exemplo; numa época, que pode ser a medieval, ou o século XIX, ou a de hoje; num contexto que já é memória, como a infância; é certo que, se despirmos os contos desses sinais, se despirmos as personagens da sua roupagem, se lhes retirarmos as máscaras, e ficar apenas a fala, o conto permanece intacto e eternamente actual.» [Do Prefácio de Mónica Baldaque]. Este livro reúne dezassete contos, quinze dos quais inéditos.
(Primeiros contos e outros contos. Agustina Bessa-Luís. Relógio d`Água)

O Árabe do Futuro 4: ser jovem no Médio-Oriente (1987-1992) | Riad Sattouf

Este 4º volume da série mundialmente aclamada O Árabe do Futuro cobre os anos 1987-1992.
Com 9 anos de idade no início da narrativa, neste tomo o pequeno Riad vai tornar-se adolescente. Uma adolescência tanto mais complicada quanto ele se sente completamente dividido entre as suas duas culturas – a francesa e a síria – e assiste à progressiva deterioração da relação entre os pais.
O pai foi trabalhar sozinho para a Arábia Saudita e, após uma peregrinação a Meca, vira-se cada vez para a religião… A mãe, cansada de o seguir para todo o lado durante anos, não consegue suportar esta inclinação religiosa do marido e regressa a França com os filhos… Até que o marido aparece inesperadamente para levar de novo toda a família para a Síria.
(O Árabe do Futuro 4: ser jovem no Médio-Oriente (1987-1992). Riad Sattouf. Teorema)

A Menina com os Olhos Ocupados | André Carrilho

Que ilustrações magníficas tem este livro! E é português, pois claro!
Para os pais preocupados com o excesso de “digicoisas” que os seus filhos consomem.
Depois de ter sido pai, André Carrilho faz o seu primeiro livro com texto.
(A Menina com os Olhos Ocupados. André Carrilho. BTD)

Afinal o Caracol, o Íbis, o Gato | Andante/ Fernando Pessoa

Afinal, os bebés lêem. Lêem, palram, cantam e dançam poesia. Assim é nos espectáculos da Andante para a primeira infância “Afinal… o Caracol!” (2012), “Afinal, o íbis…” (2015) e “Afinal… o Gato?” (2018), que Cristina Paiva e Fernando Ladeira vêm apresentando em bibliotecas, escolas, creches, jardins de infância e teatros de todo o país. 
Na nona edição “BOCA JÚNIOR – para crianças de todas as idades”, reunimos os poemas e as canções desta trilogia.. Para compensar a ausência do palco, as músicas antes tocadas por computador enchem-se aqui de gente e instrumentos de verdade, e à voz de Lia Vohlgemuth juntam-se o acordeão de Emanuel Soares, a bateria e percussões de Fábio Rodrigues e o contrabaixo de Afonso Castanheira. Co-edição: BOCA e Casa Fernando Pessoa.
(Afinal o Caracol, o Íbis, o Gato. Andante/ Fernando Pessoa. Editora Boca)

NOVIDADES PARA COLHER NA SEMANA QUE VEM

rapariga, mulher, outra | Bernardine Evaristoando Pessoa

As doze personagens centrais deste romance a várias vozes levam vidas muito diferentes: desde Amma, uma dramaturga cujo trabalho artístico frequentemente explora a sua identidade lésbica negra, à sua amiga de infância, Shirley, professora, exausta de décadas de trabalho nas escolas subfinanciadas de Londres; a Carole, uma das ex-alunas de Shirley, agora uma bem-sucedida gestora de fundos de investimento, ou a mãe desta, Bummi, uma empregada doméstica que se preocupa com o renegar das raízes africanas por parte da filha.
Quase todas elas mulheres, negras e, de uma maneira ou de outra, resultado do legado do império colonial britânico. As suas histórias, a das suas famílias, amigos e amantes, compõem um retrato multifacetado e realista dos nossos dias, de uma sociedade multicultural que se confronta com a herança do seu passado e luta contra as contradições do presente.  
(rapariga, mulher, outra. Bernardine Evaristo. Elsinore)

A Sociedade Paliativa | Byung-Chul Han

Neste seu ensaio, o filósofo germano-coreano Byung-Chul Han aborda o tema da expansão da algofobia, do medo à dor da sociedade atual.  Como mostra a recente crise dos opiáceos nos EUA e o que se passa com a pandemia da Covid-19, a dor, física ou psicológica, tende a ser evitada a todo o custo. Até a dor causada pelo amor está sob suspeita. A tolerância ao sofrimento decai rapidamente, instalando-se uma anestesia permanente. Evitam-se conflitos e controvérsias que possam levar a conflitos dolorosos.  Byung-Chul Han assume que essa é uma mudança de paradigma na nossa sociedade. A psicologia acompanha esta evolução, assistindo-se ao desenvolvimento daquela que trata do sofrimento e da psicologia positiva ocupada com o bem-estar, a felicidade e o otimismo. A algofobia também atinge a política, surgindo a pressão social para se chegar a acordos e mesmo a consensos. A pós-democracia está a espalhar-se, enquanto democracia paliativa.
(A Sociedade Paliativa. Byung-Chul Han. Relógio d`Água)

Mulheres Invisíveis: Como os Dados Configuram o Mundo Feito para os Homens | Caroline Criado Perez

Imagine um mundo onde os telemóveis são demasiado grandes para as suas mãos. Onde os médicos prescrevem medicamentos errados para o seu corpo. Onde, num acidente de automóvel, tem mais 47% de probabilidade de sofrer ferimentos graves. Onde, em cada semana, as suas incontáveis horas de trabalho não são reconhecidas nem valorizadas. Se isto lhe parece familiar, há grandes hipóteses de ser uma mulher. Mulheres Invisíveis mostra-nos como um mundo largamente construído por e para homens ignora sistematicamente metade da população. Estas páginas expõem o preconceito de género que está na raiz da discriminação que afeta diariamente a vida das mulheres.
(Mulheres Invisíveis: Como os Dados Configuram o Mundo Feito para os Homens. Caroline Criado Perez. Relógio d`Água)

Tempos Duros | Mario Vargas Llosa

A mentira que mudou o rumo de um país e de um continente. Um thriller histórico e político.
Guatemala, 1954. O golpe militar encabeçado por Carlos Castillo Armas, e apoiado pelos Estados Unidos através da CIA, provoca a queda do governo reformista de Jacobo Árbenz. Por detrás desta ação violenta está uma mentira que passou por verdade e que mudou a história da América Latina: a acusação — por parte do governo de Eisenhower — de que Árbenz, um líder moderado, encorajava a entrada do comunismo soviético no país e no continente.
Neste romance apaixonante, evocativo das suas melhores reconstituições de episódios da vida da América Latina e das suas singularidades, Mario Vargas Llosa funde a realidade com duas ficções: a do narrador que livremente recria personagens e situações; e a que foi desenhada por aqueles que quiseram controlar a política e a economia de um continente, manipulando a sua história, pondo e dispondo da vida de países que tentaram caminhos independentes.
(Tempos Duros. Mario Vargas Llosa. Quetzal)

REEDIÇÕES FRESQUINHAS: 

Mendigos e Altivos | Albert Cossery

«Quando os funcionários do Governo abriram as urnas, notaram que na maioria dos boletins de voto estava escrito o nome Bargute. Ora os ditos funcionários não conheciam tal nome, que não figurava na lista de nenhum partido. Inquietos, logo se puseram à cata de informações; e acabaram por saber, pasmados de todo, que Bargute era o nome dum burro por quem toda a gente da aldeia nutria muita estima, por via da sabedoria do animal. É claro, não foi eleito. Estás tu a ver, um burro de quatro patas! O que eles queriam, lá os do Governo, era um burro só de duas patas.»
Mendigos e Altivos, romance de 1955, é considerado a obra-prima de Albert Cossery, e foi objecto de três adaptações: duas ao cinema e uma em banda desenhada. Mendigo por decisão própria, Gohar, ex-professor universitário de Literatura e Filosofia, conduz-nos, através das ruas do Cairo e das ciladas da moral, a um conhecimento bruto e desprendido das peias com que a sociedade moderna abafa, logo à nascença, as possibilidades vitais dos seres humanos. Uma visão do mundo civilizado enquanto inutilidade orgânica, num explosivo cocktail de escárnio e reflexão. 
(Mendigos e Altivos . Albert Cossery. Antígona)

Ficções | Jorge Luís Borges

«Talvez me enganem a velhice e o temor, mas tenho a suspeita de que a espécie humana – a única – está prestes a extinguir-se e que a Biblioteca perdurará: iluminada, solitária, infinita, perfeitamente imóvel, armada de volumes preciosos, inútil, incorruptível, secreta.» Jorge Luís Borges

Ficções é uma obra fundamental de Borges; é lá que se encontram os grandes mitos e elementos centrais da sua criação. A arte da narrativa mudou completamente depois deste livro publicado em 1944.
Ficções é talvez o livro mais reconhecido de Jorge Luís Borges, e que inclui contos fundamentais para entender o seu universo, como «O Jardim dos Caminhos que se Bifurcam», «As Ruínas Circulares» ou «A Biblioteca de Babel». Há narrativas de natureza policial, como «A Morte e a Bússola», a história de um detetive que investiga o assassinato de um rabino; outras, que recriam livros imaginários como «Tlön, Uqbar, Orbis Tertius», reflexão extraordinária sobre a literatura e sua influência no mundo físico; e outras que podem ser consideradas fundadoras do moderno género fantástico, como «O Sul», que, nas palavras do mesmo autor, é talvez a sua melhor história.
Ficções. Jorge Luís Borges. Quetzal)

Inventário ilustrado das aves | Virginie Aladjidi

Um inventário para deixar terra firme, espantar e maravilhar.
Do pinguim ao cardeal, do melro à andorinha… são quase 80 as espécies de aves que voam e trinam por entre as páginas deste inventário repleto de penas e plumas coloridas.
(Inventário ilustrado das aves. Virginie Aladjidi. Faktoria)


Não deixes que a pandemia, a ergonomia, a economia e outras mias te arredem das boas leituras.

A FONTE DE LETRAS abriu portas com todos os cuidados e está aqui para garantir que continuas a ler os melhores livros, agora que tens de te pôr a mexer.

Se continuas em teletrabalho, a FONTE DE LETRAS continua a teletransportar os livros até à tua casa.

Faz o pedido por telemensagem, telefone ou telepatia e o livro chegará à morada desejada com telededicatória e tudo.

Os pedidos chegam e as entregas fazem-se no final do dia ao domicílio, na zona de Évora e Montemor-o-Novo, ou envio por correio. O pagamento pode ser feito por transferência bancária ou MB Way.


Põe-te a mexer, mas não deixes de ler!

Aceita os desafios da RELI – Rede de Livrarias Independentes.
LIVRO ÀS CEGAS Se gostas de ser realmente surpreendido na leitura, então alinha no Livro às Cegas. O Tinder dos livros continua a fazer os melhores matchs.

Só para verdadeiros amantes de livros. Aceita o desafio da RELI – Rede de Livrarias Independentes.
Escolhe uma livraria independente e pede-lhe um livro às cegas.

“Já andava com vontade de conhecer esta escritora e por isso foi uma ótima escolha. Muito obrigada.”

 


As editoras que nos acompanham e que nos dão a ler o outro lado do mundo:       

Ser uma livraria independente faz-nos perceber a importância de preservarmos a diversidade editorial, de forma a criar condições para que cada editora se aposse de força política e ideológica aquando da sua programação literária. Por isto, a livraria Fonte de Letras faz questão de ter nos seus escaparates livros das editoras independentes, alternativas, refractárias, marginais e outras que tais…

Vemos, ouvimos e lemos, não podemos ignorar! (Andresen, S.)

Antígona, Assírio & Alvim, Averno, Barco Bêbado, BCF, Cavalo de Ferro, E-Primatur, Elsinore, &etc, Letra Livre, Licorne, Língua Morta, Maldoror, Não (Edições), Orfeu Negro, Quetzal, Relógio d´Água, Sistema Solar, Snob, Tinta da China, VS, e muitas mais… Editoras de livros infantis: Planeta Tangerina,  Pequena Fragmenta, Fábula, Bruaá, Kalandraka, e mais….

OS LIVROS-DESTAQUE DA FL:

16€ | RELÓGIO D`ÁGUA | A PANDEMIA QUE ABALOU O MUNDO | Slavoj Žižek |

OS LIVROS SÃO COMO AS CEREJAS: encadeiam-se uns nos outros e não há forma de parar:

Para melhor acompanharmos Žižek nesta preleção generosa e lúcida, deveríamos visitar A sociedade do cansaço e Psicopolítica, de Byung-Chul Han, A Guerra dos mundos, de H. G. Wells, Conflito interno, de Kamila Shamsie e por aí fora…

7€| BARCO BÊBADO | CALAMIDADE | AA VV

«CALAMIDADE» uma espécie de jornal da resistência, com a participação de um coletivo de autores que sabe do que fala.
«No seio das populações imersas na aceitação da sociedade do espectáculo, em que o fluxo das imagens leva tudo pela frente, a dissolução da lógica, associada ao aumento operativo de distracções permanentes, contribui em grande medida para a anestesia exigida pelos grandes empreendimentos da ocultação política».

Júlio Henriques, “Recursos Humanos”.
«CALAMIDADE», de António Cabrita, Carlos Ferreiro, Gianfranco Sanguinetti, Júlio Henriques, Nuno Moura, Paulo da Costa Domingos e Sandra Andrade. Barco Bêbado, Junho de 2020.

Design e paginação de Paulo da Costa Domingos.

Tiragem única de 300 exemplares.

SOCORRO! O MEU FILHO NÃO LÊ.

Para uma mãe e um pai é fundamental sentir que o seu filho, que caminha a passos largos para a idade adulta, recorre à leitura para a convocação de novas referências, e que a família já não pode dar. O livro torna-se, assim, no grande aliado da família.

LITERATURA JUVENIL: Diários gráficos; Comics; Ficção aventura; Ficção realista; Ficção romance; Ficção fantástico.

18,90€ | PLANETA TANGERINA
DESVIO | Ana Pessoa e Bernardo P. Carvalho
12,90€ | ORFEU NEGRO
CICLONE – Diário de uma montanha-russa | Inês Barahona e Miguel Fragata
VV | FÁBULA
UM DIA; A SEGUIR; DEPOIS; EM BREVE | Morris Gleitzman
22,90€ | ASA
AMIGO IMAGINÁRIO | Stephen Chbosky
7,56€ |PRESENÇA: COLEÇÃO «ESTRELA DO MAR»
O RIO DAS FRAMBOESAS | Karen Wallace
16,60€ | PRESENÇA
JÁ TE DISSE QUE ME FAZES FALTA | Estelle Maskame
18,90€ | PLANETA TANGERINA
A ÉPOCA DAS ROSAS | Chloé Wary
15€ | DEVIR
PAPER GIRLS 1,2,3,4 | Brian K. Vaughan e Cliff Chiang
13,30€ | ASA
A GUERRA DOS MUNDOS | Rosário Alçada Araújo
13,30€ | PORTO EDITORA
HAVEN; HAVEN REVOLUÇÃO | Simon Lelic
7,56€ | PRESENÇA: COLEÇÃO «ESTRELA DO MAR»
A MINHA FAMÍLIA E OUTROS ANIMAIS | Gerald Durrell
16,60€ | TOPSELLER
O VERÃO EM QUE ME APAIXONEI | Jenny Han
18,90€ | PLANETA TANGERINA
FINALMENTE O VERÃO | Mariko Tamaki e Jilian Tamaki
15€ | DEVIR
UMBRELLA ACADEMY 1,2,3 | Gerard Way e Gabriel Bá
14,40€ | FÁBULA
ROBOT SELVAGEM; ROBOT EM FUGA | Peter Brown
9,90€ | PRESENÇA: COLEÇÃO «ESTRELA DO MAR»
O RAPAZ DO RIO | Tim Bowler.
16,90€ | QUINTA ESSÊNCIA
MENTIRAS ENTRE AMIGOS | Kaela Coble
16,60€ | SEXTANTE
A GUERRA DOS MUNDOS | H. G. Wells

ENSAIO | FILOSOFIA | SOCIOLOGIA E…

16€ | ANTÍGONA | A LIBERDADE É UMA LUTA CONSTANTE | Angela Davis
24,90€ | ALMEDINA
NA OFICINA DO SOCIÓLOGO ARTESÃO | Boaventura de Sousa Santos
15,90€ | EDIÇÕES 70
ELOGIO DA REBELDIA | Lamberto Maffei
16€ | RELÓGIO D`ÁGUA
LOUVOR DA TERRA | Byung-Chul Han
30€ | ANTÍGONA
DICIONÁRIO DA MITOLOGIA GREGA E ROMANA | Pierre Grimal
19€ | SISTEMA SOLAR |
À SOMBRA DO INVISÍVEL | João Paulo Costa
17,50€ | RELÓGIO D`ÁGUA |
O TEMPO, ESSE GRANDE ESCULTOR | Marguerite Yourcenar
17,50€ | ASA
CORAÇÃO REBELDE | Arundhati Roy
24,90€ | FICTA EDITORA
REMINESCÊNCIAS CRIPRO-JUDACAS NAS ALHEIRAS TRASMONTANAS | Mouette Barboff
16,59€ | VOGAIS
EM DEFESA DE UMA SOCIEDADE ABERTA | George Soros
11,90€ | E-PIMTU
OS DIREITOS DO HOMEM | H. G. Wells
16€ | QUETZAL
DE LÍNGUA AFIADA: MULHERES QUE FIZERAM DA OPINIÃO UMA ARTE | Michelle Dean
17,70€ | TEMAS E DEBATES
O ERRO DE GALILEU: BASES PARA UMA NOVA CIÊNCIA DA CONSCIÊNCIA | Philip Goff

FICÇÃO

15€ | G&P | NOS SONHOS COMEÇAM AS RESPONSABILIDADES | Delmore Schwartz
14,90€ | PDQ
EM TODOS OS SENTIDOS | Lídia Jorge
15€ | RELÓGIO D`ÁGUA
ENSAIO SOBRE O DIA CONSEGUIDO | Peter Handke
12€ | QUETZAL
NADA A TEMER | Julian Barnes
19€ | ANTÍGONA
TONO-BUNGAY | H. G. Wells
19,90€ | PDQ
RECORDAÇÕES DO FUTURO| Siri Hustvedt
21,98€ | CAVALO DE FERRO | KAPUTT | Curzio Malaparte
20,99€ | CAVALO DE FERRO
A BALADA DE IZA | Magda Szabó
17,50€ | RELÓGIO D`ÁGUA
MRS PALFREY NO CLAREMONT | E. Taylor
13,90€ | E-PRIMATUR
O MOCHO CEGO | Sadeq Hedayat
18,80€ | QUETZAL
SEMENTES MÁGICAS | V. S. Naipaul
18,90€ | EDIÇÕES ASA
TERRA AMERICANA | Jeanine Cummins
17,70€ | OFICINA DO LIVRO
TAPROBANA | Eduardo Pires Coelho
14,39€ | CAVALO DE FERRO
O SILENCIEIRO | Antonio Di Benedetto
17,70€ | SEXTANTE
O REI RECEBE | Eduardo Mendoza
22€ | LIVRO B
A DANÇA DOS OSSOS: ANTOLOGIA DO CONTO GÓTICO LUSO-BRASILEIRO | Org.: Ricado Lourenço
16,50€ | RELÓGIO D`ÁGUA
NOTAS DE INVERNO SOBRE IMPRESSÕES DE VERÃO | Fiódor Dostoievsky
14,90€ | CAMINHO
O MEU AMANTE DE DOMINGO | Alexandra Lucas Coelho

VIAGENS

13,30€ | QUETZAL
TEORIA DA VIAGEM: UMA POÉTICA DA GEOGRAFIA | Michel Onfray
13,30€ | QUETZAL
BREVIÁRIO MEDITERRÂNICO | Predrag MAtevejevitch
19,50€ | RELÓGIO D`ÁGUA
O OLHAR DO OUTRO | Maria Filoménica Mónica
16,60€ | QUETZAL
O VELHO EXPRESSO DA PATAGÓNIA | Paul Theroux
16€ | RELÓGIO D`ÁGUA
O EGIPTO | Eça de Queiroz
12€ | RELÓGIO D`ÁGUA
VENEZA, UM INTERIOR | Javier Marías

HISTÓRIA(S)

16€ | DOCUMENTA | MATCHUNDADI: Género, Performance e Violência Política na Guiné-Bissau I Joacine Katar Moreira
14,90€ | GUERRA & PAZ
COMBATES PELA VERDADE – PORTUGAL E OS ESCRAVOS | João Pedro Marques
17,90€ | MARCADOR
O NAUFRÁGIO DAS CIVILIZAÇÕES | Amin Maalouf
39,90€ | EDIÇÕES 70
O TERCEIRO REICH NO PODER | Richard J. Evans
17,69€ | VOGAIS
PORTUGAL – BREVE HISTÓRIA DE UM IMPÉRIO | David Birmingham
17,70€ | TEMAS E DEBATES
ASCENSÃO E QUEDA | Paul Strathern
19,90€ | EDIÇÕES 70
NO LABIRINTO DE OOUTUBRO | Rui Bebiano
16,90€ | TINTA DA CHINA
HISTÓRIA(S) DO PRESENTE | Miguel B. Jerónimo e José P. Monteiro

CIÊNCIAS

17,90€ | OBJECTIVA | SALVAR O PLANETA COMEÇA AO PEQUENO-ALMOÇO | Jonathan Safran Foer
16,90€ | EDIÇÕES 70
NOVACENO | James Lovelock
19,99€ | ELSINORE
CORAÇÃO: UMA HISTÓRIA | Sandeep Jauhar
17,70€ | IDEIAS DE LER
AS LEIS DO CONTÁGIO | Adam Kucharski
29€ | GRADIVA
COSMOS: MUNDOS POSSÍVEIS | Ann Druyan
19,90€ | TEMAS E DEBATES
O CÉREBRO CONSCIENTE | Joseph LeDoux
21,98€ | VOGAIS
PRAZER EM CONHECER-ME | Bill Sullivan

POESIA E ARTE

19€ | TINTA DA CHINA | GRANTA EM LÍNGUA PORTUGUESA 5 – TRAIÇÃO
16€ | DOCUMENTA
DESCASCO AS IMAGENS E ENTREGO-AS NA BOCA – LIÇÕES ANTÓNIO REIS
12€ | LÍNGUA MORTA
FAZER O TRABALHO SUJO | Roger Wolf
15,90€ | TINTA DA CHINA
ANTOLOGIA POÉTICA | Alejandra Pizarnik
19,90€ | ASSÍRIO & ALVIM
OS QUATRO ROSTOS DO MUNDO | Yosa Buson
COM INTRODUÇÃO DO AMIGO E CLIENTE
JOSÉ M. PALMA
32€ | KKYM
A INSTAURAÇÃO DO QUADRO | Victor Stoichita
14€ | ANTÍGONA |
POEMAS ESCOLHIDOS | Rosario Castellanos
14€ | DOCUMENTA
ESCRITA EM MOVIMENTO | Sérgio Dias Branco
11€ | LÍNGUA MORTA
A PEDRA QUE MATA| Luís Pignatelli
12€ | BCF
AS PEÇAS QUE FALTAM | Henri Lefebvre
23€ | KKYM
REMONTAGENS DO TEMPO SOFRIDO | Didi-Huberman
24,90€ | EDIÇÕES 70
LER IMAGENS | Alberto Manguel
19,90€ | PORTO EDITORA
OBRA POÉTICA – I | Cruzeiro Seixas
14€ | LÍNGUA MORTA
MORADA NÓMADA | Luís Carlos Patraquim
19€ | NÃO (EDIÇÕES)
ÚLTIMA MENSAGEM: 100 POEMAS DE EDWIN MORGAN | Edwin Morgan
13,30€ | ASSÍRIO & ALVIM
A MATÉRIA ESCURA | Jorge Sousa Braga
19€ | BCF
CRÓNICA DOS SENTIMENTOS: HISTÓRIAS DE BASE, VOL. I | Alexander Kluge
25€ | SEXTANTE
MAIS QUE MIL IMAGENS DE BASE | António Mega Ferreira

INFANTIL

5€ | CASA NIC E INÊS
GIRASSOL | Nic e Inês
13,90€ | PLANETA TANGERINA
PARA QUE SERVE? | José Maria Vieira Mendes e Madalena Matoso  
15,50€ | FÁBULA
OLÁ, FAROL | Sophie Backall
14€ | ORFEU MINI
PERDIDOS E ACHADOS| Emily Rand
24,900€ | PORTO EDITORA
GOSTO DE TI (QUASE SEMPRE) | Anna Llenas
14,50€ | ORFEU MINI
ENDIREITA-TE | Rémi Courgeon
12,90€ | NUVEM DE LETRAS
O MACACO RABUGENTO | Suzanne Lang
12,50€ | PLANETA TANGERINA
NHAM | Nuppita Pitman
12,50€ | PLANETA TANGERINA
BANANA! | Bernardo P. Carvalho
6,99€ | CAMINHO
VERSOS COM REVERSOS | João Pedro Messeder
16,59€ | FÁBULA
INCRÍVEL EVOLUÇÃO | Anna Claybourne
60€ | CORTINA PARA TEATRO DE FANTOCHES | FONTE DE LETRAS
16,99€ | BOOKSMILE
CONSTRÓI O TEU PRÓPRIO MUSEU DE DINOSSAUROS | Jenny Jacoby
12,90€ | ORFEU MINI
TODOS FAZEMOS COC | Taro Gomi
6€ | DOIS PONTOS#2 – revista ilustrada para crianças curiosas e criativas (7-11 anos)
14,50€ | ORFEU MINI
A ABELHA! | Kirsten Hall
12,90€ | ORFEU MINI
OUTRO | Christian Robinson
19,50€ | EDICARE
HISTÓRIA DA IMAGEM PARA CRIANÇAS | David Hockney e Martin Gayford
60€ | CORTINA PARA TEATRO DE FANTOCHES | FONTE DE LETRAS
14,90€ | ORFEU MINI
OS ADULTOS NUNCA! | Davide Calli

OUTRAS LITERATURAS

80€ | FERNANDO PESSOA A PROTEGER-SE DOS SEUS ALTER EGOS | artista RINOCERONTE
80€ | FERNANDO PESSOA (pasta de papel) | RINOCERONTE
80€ | FERNANDO PESSOA (pasta de papel) | RINOCERONTE

ESCOLHE OS MELHORES DESTINOS PARA AS TUAS FÉRIAS EM FAMÍLIA.

UM DESTINO POR SEMANA.
RESERVA JÁ A TUA LEITURA

DESTINO: ÁFRICA – TERRA ARCO-ÍRIS

Na Viagem por África, Paul Theroux parte do Cairo rumo à Cidade do Cabo. Viajando através do mato e do deserto, descendo rios, atravessando lagos e países (Egito, Sudão, Etiópia, Quénia, Uganda, Tanzânia, Malawi, Moçambique, Zimbabué e África do Sul), visita algumas das mais deslumbrantes paisagens da Terra – e algumas das mais perigosas, também. (Viagem por África, Paul Theroux. Quetzal).

«Uma carta de amor
ao continente africano.»
(The Sunday Times)

Mia Couto e Agualusa escrevem a quatro mãos três novelas curtas, deliciosas e cheias de humor e suspense, de dois dos autores que melhor escrevem em português do mundo.  (Terrorista elegante e outras histórias. Mia Couto e José Eduardo AgualusaQuetzal).

Na história «O terrorista elegante» (escrita a quatro mãos sob um alpendre, em Boane, Moçambique), que dá título ao livro, um angolano é preso em Portugal por suspeita de participação em atos de terrorismo.O homem alega ser capaz de voar e conversa com um passarinho na prisão, que parece dar-lhe as orientações necessárias para que cumpra a sua missão.

E para quem gosta de um bom livro de banda desenhada, nada melhor que O Meu Nelson Mandela e outros contos, de Anton Kannemeyer, autor d`O Papá em África (MMMNNNRRRG; 2014), título que o trouxe ao Festival Internacional de Banda Desenhada da Amadora, em 2015 e que, mesmo mostrando-se controverso, recebeu o prémio de Melhor Álbum Estrangeiro, nos Prémios Nacionais de BD 2015. O livro não foi colocado nos escaparates físicos da FNAC – só podia ser encomendado nos balcões ou no sítio na internet desta cadeia de lojas – e foi «retirado temporariamente para que se pudesse identificar que se trata de uma Banda Desenhada para adultos» das livrarias da Fundação Gulbenkian, no âmbito da sua visita para uma mesa-redonda em Maio de 2015. 

Anton Kannemeyer usa a BD para desenterrar as coisas feias da história.
(O Meu Nelson Mandela e outros contos. Anton Kannemeyer. Editora MMMNNNRRRG).

Da Nigéria para o mundo, 3 livros de Chimamanda Ngozi Adichie, para toda a família.

Da Nigéria para o mundo, 3 livros de Chimamanda Ngozi Adichie, para toda a família.

.A cor do hibisco. Chimanda Ngozi Adichie. PDQ;
.Americanah. Chimanda Ngozi Adichie. PDQ;
.Todos devemos ser feministas. Chimanda Ngozi Adichie. PDQ.

E ainda Bestas de Lugar Nenhum, um romance de estreia do escritor também nigeriano, Uzodinma Iweala, e conta a história, na primeira pessoa, de uma das muitas crianças obrigadas a combater em nome de nada ou dos interesses dos governantes; crianças-soldados que são como bestas ferozes à solta nas mãos de caudilhos sanguinários. Com uma linguagem única e arrebatadora, ao mesmo tempo brutal e comovente, o livro tem recebido inúmeros prémios e foi já adaptado ao palco.

Eu não sou rapaz mau. Não sou rapaz mau. Sou soldado e o soldado não é mau só porque mata. Digo isto para mim porque um soldado tem que matar, matar, matar. Por isso, se eu mato, estou apenas a fazer o que é certo.
(Bestas de Lugar Nenhum. 
Uzodinma Iweala. Antígona).

Editado em 2008, pela editora Antíona, faz parte dos seus fundos bibliográficos com preços de saldo.

Para os subteens que mais poderemos sugerir que não A tua canção e A estória do sol e do rinoceronte?!

Para os subteens que mais poderemos sugerir que não A tua canção e A estória do sol e do rinoceronte?!

Diz a lenda que numa tribo de África, quando uma mulher sabe que está à espera de um filho, apressa-se a dizê-lo às outras mulheres.
Elas acreditam que cada pessoa tem uma canção só sua, a Canção da Vida. Por isso, passados alguns dias, logo pela manhã, entram na selva para descobrirem, juntas, a canção do novo ser. 
(A tua canção. Inês Castel-BrancoPequena Fragmenta).

Ondjaki escreveu e Catalina Vasquez ilustrou esta maravilhosa fábula de encantar sobre um rinoceronte, o sol e a importância da gentileza e da empatia.
Na floresta antiga, um rinoceronte perguntava-se que tristeza era aquela que sentia no coração. E pediu ajuda.
(A estória do sol e do rinoceronte. Catalina Vasquez e Ondjaki. Alfaguara).

«O rinoceronte atento
Escutou o que o Sol dizia
E, quanto mais escutava,
Mais fundo aquilo ia.»

E para o jovens que sempre procuram o equilíbrio entre a justiça e a insurreição, propomos O ódio que semeias, um poderoso romance juvenil, inspirado pelo movimento Black Lives Matter e pela luta contra a discriminação e a violência. O livro foi adaptado ao cinema. 

(O ódio que semeias. Angie Thomas. Presença)

O mar de gente abre-se para o deixar passar como se fosse um Moisés negro. Os rapazes batem com as mãos nas dele e as raparigas esticam o pescoço para o ver passar. (…)
O Khalil é fixe. E eu costumava tomar banho com ele. Não, não é “nesse” sentido, foi nos velhos tempos, quando nos ríamos porque ele tinha pilinha e eu tinha pipi. Juro que não era nada pervertido.

Não é possível falarmos de África sem falarmos de (des)colonização. Quarenta anos volvidos sobre processos e acontecimentos que tiveram um impacto estruturante, quer no Portugal democrático, quer nas nações que dele emergiram.

.O Adeus ao Império: 40 Anos de descolonização portuguesa. Macahaqueiro e Aires Oliveira. Ed. Nova Vega;
.Estilhaços da Guerra Colonial. Luís A. de Fraga. Gradiva;
.Fui soldado e morri. Paulo Sande. Gradiva.

DESTINO: ESCANDINÁVIA (PAÍSES NÓRDICOS)

Stig Dagerman para os pais, adultos com vidas irremediavelmente sérias.

(…) mas onde está hoje a floresta na qual o ser humano prove que pode viver livre, e não limitado pelos rígidos moldes da sociedade?
Sou obrigado a responder: em parte alguma. Se desejo viver livre, é por enquanto necessário que o faça no interior desses moldes. Sei que o mundo é mais forte do que eu. E para resistir ao seu poder só me tenho a mim. O que já não é pouco.
Se o número não me esmagar, sou, também eu, um poder.

(A nossa necessidade de consolo é impossível de satisfazer, Stig Dagerman. VS: Maldoror).

Poderíamos aqui sugerir também O Tesouro, ou qualquer outro título da autora  Selma Lagerlof. Uma incontornável leitura para as mães e os pais que reconhecem a escrita das mulheres como um caminho a percorrer, muito mais quando falamos da primeira mulher a ganhar o Nobel da Literatura, há 110 anos.
Mas Selma escreveu também o 1º romance «ecológico» do mundo, resultado de uma encomenda feita à autora para as escolas da Suécia, com o objetivo de ensinar às crianças a geografia do seu país.
Assim, para os teens propomos A maravilhosa viagem de Nils Holgersson através da Suécia, de Selma Lagerlof, da editora Sextante.

E descobrimos uma informação preciosa
com esta leitura: a rede caça-borboletas serve também para caçar duendes.

Para os subteens que mais poderemos sugerir que não a gloriosa Pippi das Meias Altas, da autora Astrid Lindgren?! 

Pippi das Meias Altas, com o seu cavalo malhado, a sua força desmesurada, o seu gosto por limonadas e o amor pelo seu pai marinheiro.  

Agora o mais difícil, mas não impossível: os jovens quase adultos. O que fazer com eles?
Pois, os jovens quase adultos vão certamente adorar acompanhar a série Vikings com um livro que os leva aos deslumbres das mitologias, mas desta, a nórdica.

E se a opção para as vossas férias for um acampamento selvagem, talvez possam ter a sorte de ouvir o vosso filho ler a historia A cabeça de Mimir e o olho de Odin, (Mitologia Nórdica, Neil Gaiman), com ensinamentos ribombantes.

Create your website at WordPress.com
Iniciar